O que deve saber sobre a operação às cataratas

O que deve saber sobre a operação às cataratas

A operação às cataratas é atualmente um procedimento cirúrgico rápido e eficaz.

Quando falamos de catarata, não pretendemos nem devemos assustar os doentes!

A missão de um oftalmologista é advertir para os riscos, que poderão comprometer a sua saúde ocular.

Apesar da visão ser identificada como o sentido mais importante, as condutas são muitas vezes controversas: negligenciar os primeiros sintomas dos principais problemas de visão.

A catarata já foi responsável por inúmeros casos de cegueira no mundo e, é por isso um grande vilão da saúde ocular.

E, não há nada mais alarmante do que sabermos que os pacientes, após a consulta de oftalmologia, saem ainda mais confusos sobre a doença!

Em grande parte, pelas explicações técnicas que lhes são fornecidas.

Muitos deles não chegam sequer a descodificar os conceitos chave.

A nossa clínica de oftalmologia está ciente disto e, acredita na informação como principal arma na prevenção das doenças oftalmológicas.

Decidimos que estava na altura de apresentar o nosso guia com tudo o que precisa de saber sobre a operação às cataratas.

Vamos começar?

 

Tudo começa pela falta de acompanhamento oftalmológico!

Mesmo que não sofra de doenças oculares ou não use óculos para corrigir erros de refração (miopia, astigmatismo ou hipermetropia), deve visitar o seu médico oftalmologista regularmente.

Já o exame preventivo deve realizar-se no mínimo de 2 em 2 anos.

O que muitos não desconfiam é que estas doenças são silenciosas e, passam muito facilmente despercebidas no início!

A grande prova disso são os doentes com cataratas nos olhos.

Existem certos tipos de cataratas que evoluem lentamente e, quando se dá conta, um dos olhos já foi acometido.

Como centro especializado em doenças oculares, já observamos inúmeros candidatos a cirurgia de catarata, que não se aperceberam da sua presença.

As mudanças são progressivas e lentas e, modificam a homogeneidade e transparência do cristalino.

Muitos pacientes começam por revelar grandes dificuldades visuais ao final da tarde e, à noite.

Foi diagnosticado/a com cataratas e, apesar de ter levantado questões pertinentes na consulta, ficou ainda mais confuso.

Mas, nada está perdido! Temos duas ótimas notícias:

A primeira é que está prestes a conhecer a possível causa da sua doença.

A segunda notícia é que a cirurgia de catarata pode recuperar a sua capacidade visual.

A somar a isto, a operação às cataratas ainda eleva a expectativa e qualidade de vida de doentes que, já numa idade avançada sofrem de doenças cardiovasculares, neurológicas e pulmonares, assim como cancro.

 

Possíveis causas da catarata

As cataratas oculares resultam da opacificação de uma lente natural que existe no interior do seu globo ocular, o Cristalino.

Este é o principal responsável pela capacidade de focar imagens ao perto, como se  tratasse de um zoom.

A catarata resulta de um processo multifatorial e, influi na dispersão da luz através do  globo ocular.

Vai gradualmente comprometendo a perceção de objetos.

Alguns dos fatores de risco são a idade, o tabagismo, uso excessivo de corticoides e, diabetes descontrolada.

E, fica a saber que há pessoas que sofrem de catarata congénita, secundária e senil.

A cirurgia é a única forma de recuperar a capacidade visual para os portadores de catarata.

A catarata senil agrava com o avanço da idade, sendo a mais comum.

Agora que já esclareceu estas dúvidas, está na hora de desmistificar tudo o que acontece dentro do bloco operatório!

 

O que acontece na operação às cataratas

Esta cirurgia passou a ser encarada como uma verdadeira cirurgia refrativa.

A lente usada para substituir o cristalino opaco possui graduação, permitindo assim corrigir erros refrativos com uma alta precisão!

Graças à moderna técnica Facoemulsificação, já recuperamos a visão de muitos pacientes.

Sabemos que esta cirurgia suscita muita curiosidade, por isso vamos elucidá-lo passo a passo, da forma mais simples:

 

1. Antes da cirurgia

Realizamos um exame oftalmológico completo para apurar se o paciente necessita ou não da cirurgia.

Só avançamos nos casos onde a baixa visão causada pela catarata impede a normal realização de atividades de rotina.

Se tiverem luz verde, os nossos médicos efetuam o exame de biometria, para calcular a potência da lente intraocular artificial.

 

2. Durante a cirurgia

Primeiro, aplicamos colírios para dilatar a pupila.

O cristalino será removido, com um instrumento designado facoemulsificador, que emite ultrassons que fragmentam e aspiram o cristalino.

Através de uma pequena incisão, a lente natural do olho é substituída por uma lente intraocular (LIO) artificial.

E, não se preocupe, porque o material das LIO (acrílico ou silicone) é cuidadosamente selecionado, tendo em consideração a estrutura do olho.

Conheça agora os diferentes tipos mais frequentes de LIO:

  • LIOs monofocais – em grande parte dos casos asseguram uma boa visão apenas para longe, sendo necessários óculos para ver ao perto;
  • LIOs Tóricas – corrigem astigmatismos até cerca de 6 D;
  • LIOs multifocais – o paciente consegue visão a diferentes distâncias e, só em raras exceções existe a necessidade de óculos adicionais para algumas tarefas quotidianas;

 

A duração da cirurgia ronda os 20 minutos, sendo totalmente indolor!

Ficou entusiasmado com a cirurgia, mas antes de tomar qualquer decisão deve conhecer os seus eventuais riscos.

 

Operação às cataratas complicações

Na nossa clínica, esta cirurgia é uma das que regista maior taxa de sucesso.

A grande maioria dos pacientes recuperou praticamente em 100% a acuidade visual.

Contudo, é nosso dever consciencializar raras exceções, como:

  • Infeções (em menos de 1 em cada 1000 cirurgias);
  • Edema da córnea e visão enevoada após cirurgia de catarata (efeito temporário);;
  • Descolamento da retina (muito raro).

 

Mesmo que obtenha bons resultados na cirurgia, existe uma série de cuidados a ter após operação às cataratas.

 

Operação às cataratas pós-operatório

A recuperação visual ocorre após alguns dias, se e apenas se, eliminar comportamentos de risco:

  • não esfregar os olhos;
  • adiar precocemente a atividades desportivas intensas;
  • não dormir sobre o olho operado nos primeiros dias.

 

Após a cirurgia, recomendamos o uso de óculos de sol para se proteger contra os raios ultravioletas (UVA e UVB).

Óculos sem lentes certificadas, dilatando a pupila, aumentam a probabilidade de entrada destas radiações.

 

As consultas de oftalmologia têm uma importância acrescida após cirurgia!

Especialmente para seguirmos a evolução pós-operatória e, averiguar se necessita de óculos para corrigir erros refrativos pequenos.

 

Com todas estas informações pode tomar uma decisão mais ponderada.

Caso queria avançar para cirurgia saiba como o podemos ajudar, no último tópico!

 

Operação às cataratas em Portugal

Portugal assistiu desde cedo a este avanço tecnológico na oftalmologia!

Grande parte dos pacientes com o seu diagnostico recuperaram a visão por terem agido rápido!

Na nossa clínica, já revertemos inúmeros casos, graças ao elevado grau de preparação dos nossos profissionais.

Uma das variadas especializações é a operação às cataratas.

Seja o próximo a ver bons resultados!

Se estiver interessado marque uma consulta de oftalmologia, para o orientarmos no melhor tratamento!