Astigmatismo o que é, diagnóstico e tratamentos

Astigmatismo o que é, diagnóstico e tratamentos

O astigmatismo é uma imperfeição ocular que se traduz na maioria dos casos no formato irregular da córnea (estrutura transparente localizada na parte da frente do globo ocular).

Este problema de visão é muito comum e tem então origem na córnea, que acaba por apresentar uma forma oval.

Os pacientes com este diagnóstico veem os objetos que estão próximos e, os que estão longe de forma distorcida e turva.

O perfeito estado da córnea apresenta um formato de uma bola, significa que possui o mesmo grau de curvatura ao longo de toda a sua extensão.

O olho com astigmatismo tem um formato mais oval, com zonas mais planas e outras mais elevadas ou deprimidas.

Uma vez que a luz propagada é mais difusa, passam a existir diversos pontos de foco da luz.

A boa notícia é que a nossa clínica oftalmológica do Porto já corrigiu inúmeros casos com uso de óculos, lentes de contacto ou com recurso a cirurgia.

Neste artigo terá a oportunidade de desmistificar este erro refrativo.

Vamos começar?

 

O que é o astigmatismo?

O astigmatismo é um de erro de refração e, o problema está no modo como o olho foca ou “refrata” a luz na retina.

A curvatura da córnea distorce os raios de luz quando estes entram no olho e causam visão embaciada.

A origem do astigmatismo também poderá dever-se ao formato irregular da lente natural dos nossos olhos, o cristalino, sendo neste caso designado de astigmatismo lenticular.

Esta condição ocular pode ocorrer ao mesmo tempo que outros erros de refração, como a miopia e a hipermetropia.

O astigmatismo pode já estar presente no nascimento, no início da infância ou apenas se manifestar no adulto em consequência de uma lesão ocular.

No próximo tópico vai compreender o papel que os exames oftalmológicos têm no diagnóstico do astigmatismo.

 

Como é que o astigmatismo é diagnosticado?

O astigmatismo pode ocorrer em qualquer fase da vida, sendo o início da infância um período determinante para a maioria dos casos.

Para muitas crianças o erro refrativo passará despercebido, por não revelarem sinais ou sintomas.

 

Mas, em grande parte dos casos começa por apresentar dificuldades de leitura e concentração na escola e, a demonstrar outros sinais em contexto familiar.

A criança deve ser examinada regularmente por um médico oftalmológico aos 3 anos de idade, antes de iniciar a atividade pré-escolar e, até à fase adulta pelo menos de 2 em 2 anos!

As crianças mais pequenas poderão sentir-se intimidadas com a consulta, logo é crucial que os pais expliquem no que é que a consulta consiste e, o que será realizado pelos médicos.

Além disto, é crucial que os pais incentivem o hábito de ir ao oftalmologista regularmente e, que estabeleçam regras para o uso de aparelhos digitais.

O período de uso destes aparelhos deverá ser atentamente vigiado pelos pais, porque na maioria dos casos é a altura em que muitos dos sinais do astigmatismo se manifestam.

Os nossos médicos, no dia da consulta de rotina, examinam o olho da criança com o apoio das seguintes ferramentas:

  • Exame de acuidade visual – Consiste na identificação de letras ou objetos com recurso a tabelas específicas. As letras tornam-se progressivamente menores em cada linha. Conhecido na maioria dos casos como a escala de Snellen encontra-se a 5 a 6 metros de distância dos olhos examinados;
  • Exame de refração – O médico irá oferecer diferentes opções de lentes, para refinar a correção, até que o paciente consiga ler o texto claramente. Assim que ambos os olhos forem avaliados, irá ser prescrita uma receita para óculos ou lentes de contacto com base na graduação de astigmatismo detetado.
  • Queratometria – O queratómetro identifica as curvas mais íngremes e as mais planas da córnea Este aparelho serve para medir a curvatura da córnea central. As córneas, que não sofrem de astigmatismo, apresentam uma curvatura simétrica, já as com astigmatismo não têm uma curvatura uniforme.
  • Topografia da córnea – Fornece mais informações sobre a forma da córnea. O paciente será solicitado para fixar um alvo, enquanto o dispositivo recolhe diversas medições mais minuciosas.

 

Neste período será construído um mapa de cores da córnea sendo as medições são fundamentais para planearmos uma cirurgia refrativa.

Confira, a seguir, os sinais e sintomas mais comuns do astigmatismo!

 

Quais são os sintomas do astigmatismo?

As queixas mais comuns do astigmatismo:

  • Visão embaciada a todas as distâncias;
  • Dores de cabeça e nos olhos;
  • Cansaço ocular;
  • Excessiva sensibilidade à luz, sensação de vertigem e enxaquecas com muita luminosidade;
  • Fadiga ocular, em particular quando o olho necessita de focar durante tempo prolongado, como na leitura de um livro.
  • Dificuldade em conduzir à noite;

 

Caso existam antecedentes familiares com doença crónica ou ocular, deverá realizar exames preventivos com uma maior frequência.

O astigmatismo pode ser corrigido de diversas formas, confira no próximo tópico!

 

Como é tratado o astigmatismo?

  1. Óculos – as lentes serão prescritas para corrigir o grau específico de astigmatismo;
  2. Lentes de contacto – a correção astigmática, conhecida como lentes tóricas são uma solução comum para o astigmatismo. As lentes ficam posicionadas sobre os olhos, tornando-se assim na primeira superfície que a luz atinge. Desta forma, a luz é refratada através de um feixe mais focado na retina.
  3. Lasik – o astigmatismo será corrigido usando a técnica do laser Excimer para remodelar a córnea e corrigir a curva irregular, o que contribui para que a luz incida com maior precisão na retina.
  4. Implante de lente Intra- ocular tórica – Durante a cirurgia substituímos o cristalino ou lente turva por um implante de lente intraocular tórica (LIO). O implante fica posicionado dentro do olho, eliminando qualquer risco de mobilidade. Este procedimento melhora a visão à distância e, reduz a necessidade de óculos ou lentes de contacto após a cirurgia.

Se a qualidade da visão está a interferir na sua rotina laboral e já interfere nas tarefas quotidianas, deve começar a procurar uma clínica oftalmológica!

 

O corpo clínico da Clinsborges pode ajudá-lo em todas as fases: determinar a presença deste e outros erros refrativos, a graduação necessária e, a orientação e realização do tratamento mais adequado para o seu caso.

Se estiver interessado, marque já a sua consulta de oftalmologia através dos contactos disponibilizados.