Albinismo ocular: o que é, causas e tratamento

Albinismo ocular: o que é, causas e tratamento

Embora o albinismo ocular destaque a atenção devido ao seu aspecto físico, poucas pessoas imaginam as dificuldades que esta condição traz para um paciente. Por isso, sugerimos que considere algumas informações importantes sobre esta mutação ocular, as suas consequências e cuidados a ter com os olhos.

O que é albinismo ocular?

O albinismo ocular é uma alteração genética que afeta e diminui a produção de melanina nos olhos. Como resultado, o paciente apresenta pouca coloração tanto na retina quanto na íris, tornando os olhos castanhos ou azuis mais translúcidos.

Além disso, é comum que pessoas com albinismo ocular aparentem ter olhos avermelhados. Esse efeito acontece por causa da nitidez dos vasos sanguíneos na retina. Logo, os olhos ganham uma coloração vermelha sobre a cor original da íris, sendo esta percebida em fotos ou vídeo.

Já que a melanina é um pigmento que oferece à pele e aos olhos uma maior proteção, é esperado que o albino ocular tenha problemas de visão. Por exemplo, é comum que o indivíduo desenvolva fotofobia ou astigmatismo, além de outros problemas. Como resultado, a qualidade de vida das pessoas com albinismo nos olhos tende a diminuir se não tiverem os cuidados necessários.

Sequelas na visão do albino

Todas as pessoas com albinismo ocular apresentam alterações na qualidade da visão. Afinal, seja em maior ou menor grau, o desenvolvimento inadequado do sistema óptico interfere na transmissão de estímulos visuais para o cérebro. Além disso, a retina também desenvolve deformações e, como resultado, é comum o albino ocular apresentar:

  • Astigmatismo: como o indivíduo tem curvaturas desiguais na córnea ou globo ocular, ele vê as imagens distorcidas;
  • Estrabismo: os olhos do indivíduo não conseguem focar no mesmo ponto ao mesmo tempo, apresentando desvios de eixo;
  • Fotofobia: maior sensibilidade à luz;
  • Hipermetropia: problema para ver objetos próximos;
  • Miopia: problema para ver objetos distantes;
  • Nistagmo: quando os olhos se movem de um lado para o outro de forma involuntária;
  • Visão embaçada: quando o indivíduo visualiza objetos sem nitidez ou foco.

Causas prováveis

O albinismo ocular é uma mutação hereditária que acontece no cromossomo X. Portanto, as mulheres são consideradas as principais transmissoras da condição. Contudo, é comum que elas não apresentem sintomas e o albinismo ocular seja mais frequente nos homens.

Para que a alteração ocular aconteça, os pais devem transmitir os genes recessivos para os filhos. Ainda que a mãe e o pai tenham a mutação no código genético deles, nem sempre eles manifestam o albinismo.

Processo do diagnóstico do albinismo nos olhos

A princípio, muitos casos de albinismo são perceptíveis após os primeiros dias do nascimento do bebé. Isto porque, muitas crianças apresentam mudanças na coloração dos cílios, cabelos e pele.

Porém, o albinismo ocular necessita de um exame oftalmológico mais completo. Diante disso, o médico oftalmologista avaliará a anatomia e qualidade da visão do paciente com albinismo ocular. Durante a consulta, o médico indicará os exames essenciais de modo a determinar a natureza da mutação e problemas associados, como a presença de síndromes.

Tratamento

Já que o albinismo ocular é consequência de mutações nos genes do paciente, esta condição não possui cura. No entanto, é possível fazer intervenções nas sequelas provocadas pela mutação, como o estrabismo ou visão embaçada. Neste caso, o paciente pode usar lentes e óculos escuros para proteger a retina ou tampões para as contrações provocadas pelo estrabismo, por exemplo.

O indivíduo com albinismo ocular deve tomar reforços de vitamina D. Embora a exposição direta aos raios solares seja também fundamental para estimular a produção de vitamina D no corpo, obviamente os albinos devem evitar esta exposição. Este reforço de suplementação, vai ajudar também a não sofrer mudanças no sistema imunológico e nem osteoporose.

Convivendo com o albinismo nos olhos

As pessoas com albinismo ocular são muito mais sensíveis à luz do sol por causa da baixa concentração de melanina nos olhos. Afinal, a melanina ajuda os tecidos a terem alguma proteção contra os efeitos da luz. Por isso, é fundamental que os pacientes mantenham uma rotina de cuidados ao longo da vida para evitar doenças e complicações nos olhos.

Neste contexto, é fundamental que o paciente com albinismo ocular deve manter uma rotina de consultas com um médico oftalmologista logo desde a infância. De modo, que seja possível prever a presença de alterações nos olhos e saber quais os cuidados a tomar, evitando assim problemas graves no futuro, como a cegueira. Além disso, o paciente deve utilizar óculos, lentes e outros recursos que aumentem a proteção na região dos olhos.

Com as informações acima acreditamos que agora já tem o conhecimento necessário para entender e lidar melhor com o albinismo ocular. Se apresenta esta condição, faça consultas regulares com o seu médico oftalmologista para que este possa avaliar e intervir nos efeitos do albinismo nos seus olhos. Mais importante ainda, tome todos os cuidados e prevenções indicadas por este profissional, é possível ter uma qualidade de vida bem melhor!

Se desejar obter mais esclarecimento sobre o assunto utilize o nosso Whatsapp 969 884 965 ou contacto direto 222 026 669 – 919 870 967. Os nossos profissionais altamente qualificados vão esclarecer as suas dúvidas.

Confie a sua saúde visual a quem, melhor do que ninguém, conhece os seus olhos!