Gotas para os olhos: quais são as mais adequadas?

Gotas para os olhos: quais são as mais adequadas?

Existem muitas pessoas à procura de informações sobre gotas para os olhos.

Na era da informação, onde todos os recursos estão disponíveis a um click é crucial saber filtrar a informação e, não acreditar em todos os palpites online.

De facto, o cansaço, a secura e a irritação são os sintomas que mais afetam os pacientes que sofrem de falta de lubrificação ocular!

O problema pode derivar de várias condições, como alterações hormonais, a exposição desequilibrada aos grandes ecrãs ou infeções nas pálpebras.

Existem várias gotas para os olhos, mas só através de um diagnóstico rigoroso é que conseguimos indicar com precisão a melhor solução para cada caso.

A Clinsborges é uma clínica oftalmológica no Porto e, não podia ficar indiferente a esta problemática.

Neste artigo, vamos partilhar algum do nosso conhecimento sobre a função das gotas para os olhos e, que tipos de soluções serão indicadas no dia da sua consulta de oftalmologia.

Vamos começar?

 

Porque é que precisa de gotas para os olhos?

As lágrimas ficam encarregues de garantir a regularização da superfície ocular e a lubrificação dos seus olhos, além de criarem uma barreira protetora.

Se a produção de lágrimas for afetada, começam a surgir as dificuldades de focagem, ardor, comichão e olhos secos.

O paciente deverá ter um papel proativo: consultar o médico oftalmologista regularmente, para estes sintomas não agravarem para inflamações na córnea (ceratite) ou da conjuntiva (conjuntivite).

É neste contexto que as gotas para os olhos atuam! A sua missão é tratar qualquer tipo de doença nos olhos, incluindo desconforto ocular, olho seco, alergias oculares a até, infeções originadas em cirurgias.

Os colírios são compostos farmacêuticos líquidos sob a forma de gotas e, a quantidade que vai aplicar em cada olho dependerá do diagnóstico.

Mas, afinal qual é o tipo de colírio adequado para o seu caso?

Acompanhe!

 

Que tipos de gotas para os olhos existem?

1. Colírios antibióticos

Este tipo de colírio é indicado para tratar infeções nos olhos, provocadas por bactérias, como uma conjuntivite bacteriana indesejada!

Alguns dos colírios são associados a anti-inflamatórios, com o intuito de travarmos a inflamação e, combatermos todo o desconforto visual causado.

 

2. Colírios anti-inflamatórios

Na nossa clínica são prescritos a todos os pacientes que precisaram de tratar uma inflamação provocada por uma cirurgia aos olhos e, noutros casos para recuperarem de uma conjuntivite vírica ou ceratite, inflamação desta vez na córnea!

Para além de prevenirem e tratarem a dor intensa nos olhos e inflamação.

 

3. Colírios Antialérgicos

Para aliviar os primeiros sinais e sintomas de doenças oculares, como a conjuntivite alérgica, a vermelhidão, prurido e inchaço.

 

4. Colírios anestésicos

Muito usado no diagnóstico, como a medição da pressão intraocular, a raspagem do olho ou na remoção de corpos estranhos.

Mesmo que sejam prescritos para atenuar a dor e a sensibilidade, no caso de uso impróprio podem desenvolver lesões na córnea. Dito isto, já sabe que a automedicação está fora das opções!

 

5. Colírios descongestionantes

Não tão conhecidos por vasoconstritores, no entanto têm com função descongestionar e lubrificar os olhos.

Se estive exposto, durante um longo período a poeiras, fumo, sol ou água da piscina ou do mar é este o tipo de colírio que vamos receitar na consulta.

O mesmo para síndromas gripais, como a rinite, corpos estranhos e constipações, especialmente se tiver os olhos vermelhos e secos.

 

6. Colírios lubrificantes

Os pacientes que forem diagnosticados com a Síndrome do Olho Seco são orientados a para realizar este tratamento.

O ardor e a irritabilidade ocular podem derivar de várias fontes de secura ocular, como produtos químicos, raios ultravioleta, calor seco ou excessivo, ar condicionado, maquilhagem imprópria para uso, uso prolongado de aparelho digitais, sol e vento.

E, se for utilizador de lentes de contacto? Não existe nenhum impedimento!

As lágrimas artificiais são um bom exemplo de colírios lubrificantes, para além de as poder adquirir em farmácia sem receita médica.

 

7. Colírios para glaucoma

Como a causa do glaucoma está intimamente associada à elevada pressão intraocular este colírio é indispensável para controlar diariamente a progressão da doença ocular, a principal responsável pela cegueira.

Os colírios são um líquido de uso tópico que, na maioria dos casos, pode ser suficiente para aliviar os sintomas, contudo não é um tratamento isolado ou definitivo para travar uma doença ocular!

Quando o colírio for indicado, existe uma série de cuidados que deve ter sempre em mente para evitar a contaminação tanto do frasco, como do conteúdo.

 

Que cuidados deve ter com as gotas para os olhos?

Siga os nossos conselhos para garantir a correta utilização dos colírios:

  • Não encoste a ponta do frasco nos olhos, dedos ou noutra superfície não desinfetada;
  • Aplique os colírios deitado, para que as gotas caiam na parte inferior do olho;
  • Aplique apenas a quantidade de gotas que lhe indicarmos na consulta;
  • Aguarde durante 5 minutos entre cada aplicação, no caso de ser aconselhado para usar mais do que um colírio;
  • Após aplicar as gotas, feche os olho e, pressione levemente o canto mais próximo ao nariz, para estimular a absorção do medicamento;
  • Retire as lentes de contacto antes de aplicar o colírio e, espere 15 minutos após a aplicação, antes de voltar a colocar as lentes de contacto;

 

A nossa clínica é uma das mais reconhecidas por responder a todas as exigências de diagnóstico e tratamento das principais doenças oculares.

Se estiver interessado, marque já na Clinsborges a sua consulta de oftalmologia.