fbpx
Catarata: o que é, causas da doença, tratamentos e sinais / sintomas

Catarata: o que é, causas da doença, tratamentos e sinais / sintomas

A Catarata atinge mais de 200 milhões de pessoas e é responsável por cerca de metade dos casos de cegueira a nível mundial! Em Portugal, existem cerca de 200.000 pessoas com sinais e sintomas de catarata, tendo maior prevalência na população idosa, mas isso não quer dizer que as pessoas de outras faixas etárias não correm o risco de desenvolver sinais desta doença.

Esta é uma doença ocular comum que se desenvolve lentamente ao longo da idade, não proporcionando nenhum tipo de dor e é caracterizada por causar opacidade no cristalino tornando a visão embaçada. Importante saber que o cristalino é a lente natural do olho cuja principal função é focalizar objetos independentemente da sua distância. 

Quando surge a opacificação, esta vai interferir com a transmissão da luz sobre o cristalino, que em condições normais, é completamente transparente e, por isso, a catarata é a causa de redução ou perda total de visão – a cegueira.

Por esta razão a comunidade de oftalmologia apela às consultas de oftalmologia regulares, para que se possa identificar e atuar sobre esta ou outras doenças oculares precocemente. 

Tipos de catarata

Tal como acontece com outros tipos de doença ocular, existem também vários tipos de cataratas diferentes e cada uma delas tem uma causa distinta, bem como, a forma de tratamento e de cirurgia pode mudar por essa razão. De seguida, apresentamos uma lista de quais são: 

Catarata Nuclear

Esta catarata é a mais comum. O centro da lente, ou núcleo, começa a endurecer e ficar amarelo, eventualmente vai-se espalhando a partir daí. Isto pode ter como resultado a dificuldade em ver áreas com pouca luminosidade e pode condicionar bastante o acto de conduzir. Algumas pessoas acabam por pensar que a sua capacidade de focar objectos ao perto melhora temporariamente, isto acontece, porque a capacidade do olho de focar muda.

Catarata Cortical

Esta catarata forma-se na borda externa da lente e cresce para dentro. Esta catarata espalha a luz, causando brilho e halos, especialmente ao conduzir durante a noite ou em tempo de chuva. Esta pode causar problemas na visão ao perto e ao longe. Os pacientes diabéticos tendem a ser o grupo mais afetado.

Catarata Subcapsular Posterior

Esta catarata desenvolve-se na superfície posterior da lente. As pessoas afetadas por este tipo de catarata podem notar halos ou brilhos ao redor das luzes, ou até mesmo uma mancha na visão. A doença desenvolve-se mais rápido que os  restantes tipos e é frequentemente diagnosticada em pacientes diabéticos ou naqueles que ingerem esteróides orais.

Catarata Congénita

A catarata congénita é um defeito congénito do olho. Defeitos congénitos são alterações estruturais presentes no nascimento que podem afetar quase qualquer parte do corpo. 

Uma catarata congénita é quando a lente do olho ao nascer está embaçada em vez de transparente, dificultando assim a visão. A doença pode ocorrer em um ou ambos os olhos e se não for tratada precocemente, pode causar problemas de visão ou cegueira.

Nestes casos, os especialistas conseguem identificar a doença já na maternidade fazendo apenas o exame de fundo do olho, ou do reflexo vermelho, também conhecido como “exame do olhinho”, que acontece já na primeira semana depois que o bebé nasceu.

Segundo as orientações da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO) o exame do fundo do olho, ou do reflexo vermelho, deve ser realizado por rotina antes do primeiro ano de vida.

A catarata congénita é rara em bebés. No entanto, um dos motivos que leva com que haja o aparecimento da catarata já na gravidez pode ter como causa uma gravidez stressante para a mãe ou a ingestão de muitos medicamentos e drogas..

Existem dois tipos de catarata congénita:

  • Sindrómica: É quando a catarata congénita acontece em conjunto com outros defeitos congénitos ou condições de saúde. Por exemplo, alguns bebés com catarata congénita também têm síndrome de Down. A síndrome de Down é uma condição genética que inclui uma combinação de defeitos congénitos, como deficiências intelectuais e de desenvolvimento, defeitos cardíacos, certas características faciais e problemas de audição e visão.
  • Não sindrómica: É quando a catarata congénita é a única condição que um bebé tem.

Catarata por Radiação

Os raios UV do sol podem ser uma causa significativa de catarata. As pessoas que passam demasiado tempo ao ar livre ou que recebem tratamento de radiação para o câncer podem desenvolver catarata como resultado.

Catarata Traumática

Como o nome já dá a entender, trata-se de uma Catarata causada por algum tipo de trauma ocular penetrante que rompe e danifica as fibras do cristalino. A maioria das cataratas traumáticas levam ao edema do cristalino, mas o tipo e o percurso clínico vai depender do trauma e da integridade da bolsa capsular. 

Quais são os sinais e sintomas da catarata? 

Existem alguns sinais e sintomas que podem mostrar que o paciente está a sofrer com o surgimento da catarata. Desta forma, é necessário estar atento para entender se a doença está no seu estágio inicial ou se está no final já com perda de visão. Muitas pessoas confundem o estágio inicial da Catarata com miopia e acreditam que ao usar óculos podem resolver a situação, mas na realidade não é isso o que acontece! 

Abaixo apresentamos uma lista que pode ajudar a entender melhor quais os sinais e sintomas desta doença ocular

  • Visão parcialmente embaçada;
  • Diminuição da visão diurna em casos específicos (sensação de névoa no pico de luminosidade);
  • Diminuição da visão noturna num estágio avançado;
  • Muita sensibilidade à luz ou brilho;
  • Menor capacidade de distinguir cores;
  • Observação de halos em torno das luzes;
  • Visão dupla;
  • Necessidade de alteração frequente da graduação dos óculos.

Numa fase inicial, o paciente nota uma diminuição evidente da sensibilidade ao contraste, seguido de uma perda progressiva da acuidade visual, que pode ser rápida (uma questão de meses) ou evoluir gradualmente ao longo dos anos.

Os sintomas são variados e dependem sempre do grau da opacidade do cristalino. Em imensos casos, a visão à distância fica embaçada, com diminuição do contraste entre objetos e cores.

Por outro lado, os sintomas menos frequentes continuam a ser o deslumbramento, a alteração da visão das cores, a má visão noturna, dificuldade na leitura ou a visão dupla com apenas um olho aberto.

O que causa a catarata e os fatores de risco?

A principal causa da catarata é o envelhecimento, por este motivo metade dos adultos com mais de 65 anos sofrem desta condição. Contudo, há vários fatores que podem causar o desenvolvimento desta doença ocular, tais como:

  • Lesão ocular anterior ou não tratada
  • Diabetes, hipertensão arterial ou miopia
  • Cirurgia ocular anterior
  • Radiação UV
  • Longa exposição à luz solar
  • Excesso de uso de certos medicamentos
  • Terapia de reposição hormonal
  • Fator hereditário
  • Fumar
  • Obesidade

Como é tratada a catarata?

Se os seus sintomas de Catarata forem ligeiros, pode simplesmente necessitar de uma nova prescrição para óculos ou lentes de contacto. Esta doença ocular geralmente piora com o tempo, e no devido momento o seu médico oftalmologista vai recomendar a cirurgia para remover a Catarata.

Em que fase a catarata deve ser removida?

Geralmente por recomendação da maioria dos oftalmologistas as pessoas aguardam até que a Catarata cause perda de visão suficiente para ser considerado um problema, como ter dificuldade para trabalhar, ler ou conduzir. 

Às vezes, as pessoas necessitam da cirurgia de catarata para ver e tratar outras condições oculares, como alterações relacionadas à idade na retina (tecido na parte posterior do olho) ou retinopatia relacionada ao diabetes.

Quem remove a catarata?

Um médico oftalmologista (médico especializado em saúde ocular) realiza a cirurgia de remoção de catarata.

Como as cataratas são removidas?

Durante a cirurgia de catarata, o cirurgião oftalmologista remove a retina opacificada e a substitui por um implante de lente artificial ou lente intraocular. A nova lente é transparente, moldada para se ajustar ao olho e personalizada de acordo com as necessidades do paciente.

A remoção da catarata demora cerca de uma hora. É realizada com anestesia local. O seu médico usará colírios ou uma injeção para anestesiar o seu olho. Ou seja, o paciente estará acordado, mas não sentirá dor nem vai ver o procedimento.

 

Em conclusão, se tem fortes suspeitas de cataratas nos olhos ou já foi diagnosticado, a nossa clínica oftalmológica pode ajudar com o próximo passo! Se desejar saber mais informações pode utilizar o nosso Whatsapp 969 884 965 (chamada para rede móvel nacional) ou contacto direto 222 026 669 – 919 870 967 (chamada para rede fixa e móvel nacional), onde os nossos profissionais altamente qualificados vão esclarecer as suas dúvidas.

Confie a sua saúde visual a quem, melhor do que ninguém, conhece os seus olhos!